152 ocorrências de falta de energia são registradas no Estado

O levantamento foi realizado pela empresa responsável pelo fornecimento de energia no Pará e está relacionado com o clima durante o verão amazônico.

O clima seco colabora com focos de incêndio e gera diversos prejuízos, inclusive as interrupções no fornecimento de energia, que gera transtorno em residências e instituições prestadoras de serviços essenciais.

No primeiro semestre de 2022, a Equatorial Pará registrou 152 ocorrências de falta de energia causadas por queimadas próximas a rede elétrica, em todo o Estado. Na região oeste, os municípios onde há registros são Santarém, Itaituba, Alenquer, Prainha e Novo Progresso.

Quando ocorrem queimadas próximo a rede, o calor danifica as estruturas e cabos condutores, prejudicando o fornecimento de energia para os clientes da região, conforme o gerente de Obras e Manutenção da Equatorial Pará, Manoel Romeiro. “Inclusive, o fogo pode atingir vários postes e muitos metros de rede, fazendo com que o serviço para recompor a estrutura demande um tempo considerável. Ressaltamos ainda que além dos prejuízos causados, dependendo da circunstância, a prática de queimada pode ser configurada crime”, acrescenta Manoel.

COMO PREVENIR

Para evitar que as queimadas ocorram, a população pode tomar algumas precauções, que são instruídas pela técnica de Segurança da Equatorial Pará, Natália Pirovano. Uma delas é evitar acender fogueiras, especialmente quando forem próximas da rede elétrica, pois, o fogo pode fugir de controle e atingir áreas maiores. “Não se deve jogar pontas de cigarro acesas às margens de rodovias ou próximo a qualquer tipo de vegetação. As cinzas de fogueiras devem ser apagadas com água, para evitar que o vento leve as brasas para as matas. Não coloque fogo em terrenos baldios ou lixões. E no período de estiagem, realize aceiros para evitar incêndios descontrolados”, orienta Natália.

0 Comentários