Operações de combate à pesca predatória são realizadas em comunidades da região de rios de Santarém

 

As ações de fiscalização estão sendo realizadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente em conjunto com a 1ª Companhia de Policiamento Ambiental e ocorrem ao longo do mês de julho em comunidades da região de rios.

“O objetivo é fiscalizar a questão de preservação dos lagos, bem como o cumprimento dos acordos de pesca, áreas consideradas com elevada pressão pesqueira”, informou o secretário de Meio Ambiente de Santarém, João Paiva.

Durante as abordagens de julho, não foram flagradas situações relacionadas à pesca irregular. Apenas 800 metros de malhadeira foram apreendidos depois de serem apresentados por comunitários de Pixuna do Tapará.

Em relação à pesca predatória em Santarém, de janeiro à 19 de julho de 2022, vinte e cinco casos foram registrados em 20 comunidades da região.

Acordos de Pesca

Os acordos de pesca são criados pelas comunidades ribeirinhas, no intuito de promover o ordenamento pesqueiro de uma determinada região e minimizar os conflitos sociais entre pescadores. Sendo um instrumento com força de lei, os acordos de pesca definem as regras de acesso e de uso dos recursos naturais pesqueiros, tanto para moradores das áreas do acordo quanto para visitantes pescadores.

Como denunciar?

Se possível, ao flagrar qualquer ato contra a fauna e a flora, o cidadão pode produzir vídeos ou fotos. Além disso, é importante a identificação do denunciado com informações como nomes, número de placa de veículo e endereço. Devido as inúmeras demandas e o amplo espaço geográfico do município, a Secretaria de Meio Ambiente tem montado um cronograma de ações, a fim de conter o avanço das irregularidades. São ações que se dão de forma sigilosa para identificar os criminosos ambientais e realizar as autuações.

0 Comentários