Suspeito de Jonatas Patrício em 2012 é condenado a 16 anos de prisão

 


Dez anos depois de Jonatas da Silva Patrício ter sido assassinado com golpes de um gargalo de garrafa quebrada, o segundo suspeito do homicídio foi sentenciado a 16 anos de prisão.

Na última segunda-feira (13), Jerry Adriano da Silva passou por júri popular e foi condenado. Segundo a polícia, ele foi o autor dos golpes que tiraram a vida de Jonatas.

Já o comparsa, Lafaiete Maia Pereira, foi quem imobilizou a vítima durante os golpes. Lafaiete já havia sido condenado e 16 anos de prisão, mas recorreu da decisão judicial e atualmente responde pelo crime em liberdade.

No dia 4 de maio de 2012 Jonatas Patrício saiu da casa da família para ir ao trabalho e depois do expediente ele foi visto em um bar na companhia de Jerry e Lafaiete, onde testemunhas viram os dois suspeitos brigando fisicamente com a vítima.

A briga foi separada por populares e Jonatas saiu do bar em direção à sua residência, mas nunca chegou em casa. Ele foi seguido pelos dois suspeitos e morto com um gargalo de garrafa no dia 5 de maio de 2012. Em seguida, Lafaiete e Jerry levaram o corpo da vítima para uma área de mata próximo ao Igarapé do Irurá, onde o corpo permaneceu desaparecido até o dia 7 de maio, quando foi encontrado com várias perfurações.

Na época, Jerry chegou a confessar o crime e disse que havia matado Jonatas porque a vítima teria roubado o pai de dele anos antes.

Fonte: Repórter Israel Mendes/TV Ponta Negra

Confira a matéria no ROTA

0 Comentários